Em formação

Produtos típicos italianos: Clementinas do Golfo de Taranto IGP

Produtos típicos italianos: Clementinas do Golfo de Taranto IGP

Área de produção

Área de produção: municípios de Palagiano, Massafra, Ginosa, Castellaneta, Palagianello, Taranto e Statte.

Recursos

Apresentam uma forma esferoidal, ligeiramente achatada nos pólos e uma casca lisa ou ligeiramente enrugada, de cor laranja com um máximo de 30% de cor verde. O aroma é intenso e persistente. Hesperidium é apireno, com uma tolerância igual a um máximo de 5% dos frutos que contêm não mais que três sementes.

IGP Clementinas do Golfo de Taranto

Especificações de produção - IGP Clementinas do Golfo de Taranto

Artigo 1
Nome
A Clementina de Indicação Geográfica Protegida (IGP) do Golfo de Taranto é reservada para os frutos de clementinas provenientes da espécie C. clementine Hort. ex Tanaka, indicado no Art. 2 a seguir, que atendem às condições e requisitos estabelecidos pelo Regulamento (CEE) n.2081 / 92 e indicados nesta especificação de produção.
As clementinas em questão destinam-se a ser fornecidas exclusivamente ao consumidor no estado fresco e devem ser produzidas no território dos municípios da província de TARANTO indicados no art. 3 desta especificação.

Artigo 2
Variedade
As Clementinas de Indicação Geográfica Protegida (IGP) do Golfo de Taranto designam as clementinas aplicáveis ​​às seguintes cultivares e seleções clonais: Município, Fedele, Precoce di Massacra (ou Spinoso), Puglia Grosso, ISA, SRA 63, SRA 89.

Artigo 3
Área de produção
A área de produção das Clementinas do Golfo de Taranto inclui todo o território dos municípios de Palagiano, Massafra, Ginosa, Castellaneta, Palagianello, Taranto e Statte.

Artigo 4
Características de cultivo
O sistema de cultivo Clementine do Golfo de Taranto, referido nesta especificação, deve ser o tradicionalmente adotado na área delimitada no Art.3 anterior e fornece as seguintes técnicas:
a) A poda é praticada todos os anos no final da primavera, com o objetivo de melhorar o equilíbrio entre a função vegetativa e produtiva, com cortes limitados, principalmente nos primeiros anos.
A forma de treinamento é a de um vaso-globo.
b) A fertilização é sempre baseada no estado de fertilidade do solo, seguindo análises apropriadas realizadas a cada três anos.
A fertilização básica é praticada no inverno - primavera com fertilizantes líquidos e / ou sólidos e integrada ao recomeço vegetativo com micro - meso e macroelementos. Fertilização foliar, reguladores de plantas e fertirrigação também se aplicam.
e) A irrigação é praticada em quase todos os períodos da sonda, na ausência de chuvas. O método mais utilizado é o método de gotejamento ou descarga, direto e distante da projeção da coroa, para evitar possíveis ataques de marciumf1 na área do colar.
d) Os trabalhos de preparo do solo são para o controle de plantas daninhas, o enterro de fertilizantes e a redução da perda de água do solo por evaporação.
e) Os tratamentos antiparasitários são praticados com produtos fitofarmacêuticos à base de ingredientes ativos registrados para frutas cítricas.
Para admissão no I.G.P. as novas plantas devem ser construídas porões bem drenados.
Os quebra-ventos (vivos ou mortos) são permitidos para a proteção da cultura nas diferentes fases.
Sem prejuízo dos sextos preexistentes de plantas com uma densidade de 350 a 750 plantas / ha, em novas plantas a densidade não deve exceder 500 plantas / ha. São permitidos sexto implantes dinâmicos com diferentes densidades, até um máximo de 25 anos de idade.
A produção unitária máxima permitida para clementinas é fixada em 50t / ha.
As novas plantas devem ser construídas exclusivamente com plantas enxertadas, em conformidade com os padrões de qualidade CE na comercialização do material de propagação.
As novas plantas cítricas devem ser fabricadas com Citras aurantium L., comumente conhecido como laranja amarga ou melange, como porta-enxerto exclusivo.
A coleta dos frutos deve ser feita à mão, com o uso de tesouras, evitando que os frutos se deteriorem. Os frutos devem ser colhidos secos, sem folhas ou com algumas folhas. Frutas sem copo (roseta) são excluídas da I.G.P. A técnica de remoção do verde não é permitida.
É permitido o uso de ceras e / ou produtos conservantes permitidos pela legislação do país a que a fruta se destina e, como tal, agindo exclusivamente fora da pele, sem alterar o sabor e o cheiro de cada clementina.

Artigo 5
Controles
As plantas adequadas para a produção da I.G.P Clementine del Golfo diTaranto, são registradas em uma lista especial, ativada, mantida e atualizada pelo organismo de controle, que deve verificar, também por meio de inspeções apropriadas, os requisitos exigidos para o registro na Lista. Os controles técnicos serão executados por um organismo de controle que atenda aos requisitos das normas EN45011.
Os produtores que pretendem colocar o produto no mercado com a Indicação Geográfica Protegida Clementina do Golfo de Taranto, devem apresentar os detalhes cadastrais para a identificação dos mesmos citros, superfície, sexto e ano de plantio ao Organismo de Controle escolhido. Os proprietários dos pomares de citros registrados na lista que pretendem comercializar seus produtos com a Indicação Geográfica Protegida Clementina do Golfo de Taranto, devem cumprir os procedimentos indicados no plano de controle preparado pelo Corpo de Controle escolhido e aprovado pelo Ministério da Agricultura e Florestas.

Artigo 6
Características do consumidor
A indicação geográfica protegida Clementine do Golfo de Taranto deve responder, além dos requisitos estabelecidos pelas normas comuns de qualidade em vigor, às seguintes características:
- Forma: esferoidal - levemente achatada nos pólos;
- Casca: cor laranja lisa ou levemente enrugada, com no máximo 30% de cor verde;
- Cor da polpa: laranja;
- Tamanho mínimo: 6 (43/52 mm);
- Teor mínimo de suco: 40% do peso da fruta, obtido pressionando com uma prensa manual;
- Aroma: intenso e persistente;
- Taxa de maturação: mínimo 6: 1, obtida a partir da razão entre o teor de sólidos solúveis expresso em graus Brix e os ácidos tituláveis ​​expressos em ácido
Ácido Cítrico;
- Apirene, com a presença de, no máximo, 5% de clementinas contendo pelo menos três sementes.

Artigo 7
Designação e apresentação
As Clementinas do Golfo de Taranto devem ser liberadas para consumo:
- em embalagens seladas com peso até 3 kg, nas quais deve ser indicado o logotipo com o nome abaixo descrito;
- em embalagens não seladas, com peso superior a 3 kg e no máximo 25 kg, com o logotipo do nome descrito abaixo afixado em pelo menos 90% das frutas contidas na embalagem.
É proibido o uso de adjetivos que melhorem as características comerciais e expressem avaliações comerciais adicionais.
As cores da embalagem, bem como os gráficos utilizados, devem ser projetados e fabricados de modo a parecer facilmente identificáveis, mesmo à distância.
Agrupados em um lado da embalagem, todas as indicações exigidas pela legislação atual e por esta especificação devem aparecer.
Em particular, nas embalagens, a palavra Clementina do Golfo de Taranto deve aparecer clara e facilmente distinguível de qualquer outra indicação, pelo menos duas vezes mais importante que todas as outras indicações.
Imediatamente abaixo das indicações acima mencionadas, deve ser relatado o seguinte: Indicação geográfica protegida.
É permitido o uso de indicações referentes a: nomes, nomes de empresas, marcas privadas com código de identificação, desde que não induzam o consumidor em erro ou melhorem as características da fruta.
Os dados de identificação do embalador (nome, nome da empresa e endereço) e a origem do produto devem sempre aparecer juntamente com as outras indicações obrigatórias previstas pelas normas de qualidade em vigor. É permitida a menção da empresa ou fração da qual o agrame é proveniente.
A marca INE deve ser indicada nas produções destinadas a países terceiros.
O símbolo gráfico relativo à imagem artística do logotipo específico e exclusivo, a ser usado em combinação inseparável com a Indicação Geográfica Protegida, é circular, consistindo em dois círculos concêntricos de cor verde Pantone356CV.
A inscrição: INDICAÇÃO GEOGRÁFICA PROTEGIDA é inserida no espaço entre os dois círculos, na mesma cor Pantoneverde 356CV.
Na parte central, você pode ver o céu azul, Pantone 306CV, uma intensa cor laranja, Pantone laranja 021 CV, com pedúnculo e folhas verdes, Pantone 356 CV. Abaixo, sob a imagem da fruta, é mostrada a inscrição Clementine do Golfo de Taranto, feita em cores laranja, Pantoneorange 021 CV.
Entre os dois círculos, na parte inferior, lemos em verde, Pantone 356 CV, a abreviatura I.G.P.


Vídeo: ITALIANAS probando TLAYUDAS. Oaxaca (Janeiro 2022).