Em formação

Entomologia agrícola: Struggigrano

Entomologia agrícola: Struggigrano

Classificação e plantas hospedeiras

Classe: Insetos
Ordem: Besouros
Subordem: Polifagos
Família: Ostomatídeos
Gênero: Tenebroides
Espécie: T. mauritanicus L.

Referência bibliográfica:
Fitopatologia, entomologia agrícola e biologia aplicada” – M.Ferrari, E.Marcon, A.Menta; Edagricole escolar - RCS Libri spa

Plantas hospedeiras: Cariáxidos, farinhas e outros derivados, frutos secos (amendoim, castanha, noz, etc.).

Identificação e danos

O Struggigrano é um besouro que pode atingir até 10 mm de comprimento; tem uma cabeça bem desenvolvida e o uniforme é dorsalmente marrom-escuro, enquanto ventralmente é marrom-avermelhado como as pernas e as antenas.
A larva tem cerca de 12 a 15 mm de comprimento; tem uma cor branco-amarelada com a cabeça, o protórax e o último segmento abdominal (prolongado em dois processos), escuro. O dano, embora quase nunca grave, é causado pela ação trófica das larvas e em parte dos adultos que se alimentam dos alimentos descritos.

Ciclo biológico

Struggigrano vive nos armazéns onde os cereais são armazenados; as fêmeas também põem ovos por períodos de um ano e em momentos diferentes. Os ovos são depositados em pequenos grupos de algumas dezenas de elementos entre os detritos dos cereais. As larvas que saem dela se alimentam das sementes; eles primeiro penetram ali, depois consomem o interior, saem para se alimentar da parte externa. Na maturidade, eles se reproduzem entre os detritos. O Ladulto, que pode viver por dois anos, tem hábitos alimentares fitófagos (se alimenta de alimentos) e carnívoros (larvas de presas e pupas de insetos geralmente granívoros e se alimentam dos restos mortais de mortos). Struggigrano gira 1-2 gerações por ano.

Struggigrano - Tenebroides mauritanicus L. (foto www.kerbtier.de)

Struggigrano - Tenebroides mauritanicus L. (foto www.ozanimals.com)

Luta

Técnicas de prevenção e combate
As técnicas de prevenção e controle devem seguir as seguintes regras básicas:
- as salas destinadas ao armazém devem ser perfeitamente impermeáveis ​​aos insetos. Portas e janelas devem ter medidas que permitam seu fechamento hermético. O mesmo edifício também deve ser isolado nas fundações, para permitir qualquer fumigação de desinfecção, mesmo sob pressão; as janelas devem estar equipadas com redes de metal ou nylon, de malha fina, para impedir a entrada de insetos adultos;
- em armazéns e salas de processamento, encontram aplicação eficaz:
Armadilhas alimentares;
• armadilhas luminosas de descarga elétrica;
• armadilhas sexuais: são particularmente eficazes contra os lepidópteros. Com essas armadilhas, você pode obter resultados diferentes:
- captura maciça: dessa maneira, reduz-se a consistência numérica da população, capturando os machos que não conseguem mais acasalar;
- monitoramento da captura: dessa maneira, o tamanho da população é identificado e o ciclo de desenvolvimento é seguido, a fim de determinar o limiar da intervenção. Isso possibilita identificar o momento mais adequado para intervir com produtos de controle de pragas e somente quando o tamanho da população é capaz de causar danos econômicos reais.
O limiar varia de 1 a 2 insetos por armadilha, dependendo do fitófago considerado;
a desinfestação é realizada com fumigantes ou com inseticidas residuais; isso pode ser feito tanto com infestações atuais quanto com salas vazias, para fins preventivos.

Fumigação
A fumigação deve ser realizada por pessoal especializado, com a autorização do Quartel da Polícia, da A.S.L. ou do Gabinete do Mestre do Porto.
As doses e os períodos de exposição devem ser rigorosamente respeitados para impedir que o produto armazenado assuma odores que também são transmitidos ao pão e outros derivados.

Inseticidas residuais (ação de contato)
A aplicação das doses deve ser rigorosa para evitar o aparecimento de fenômenos de resistência; também é aconselhável alternar o uso dos ingredientes ativos, para reduzir esses fenômenos.

Outros métodos de conservação
Atualmente, a preservação de alimentos está focada no uso de duas novas tecnologias: atmosfera controlada e refrigeração; essas novas técnicas que tendem a substituir produtos químicos permitem limitar infestações e obter produtos preservados sem resíduos químicos.
Essas técnicas fornecem ambientes especialmente construídos e naturalmente à prova d'água.
A técnica de atmosfera controlada é realizada com o uso de nitrogênio ou dióxido de carbono para substituir o oxigênio.
Os melhores resultados são obtidos com dióxido de carbono, que requer tempos de aplicação mais curtos, em comparação com o nitrogênio, mesmo na presença de uma certa% de oxigênio.
Os insetos morrem por asfixia e pelo efeito tóxico do CO2 no nível celular.
A técnica de refrigeração permite que você armazene produtos de maneira eficaz por longos períodos, pois o metabolismo dos insetos é bloqueado.
Os tempos de refrigeração variam de acordo com a queda de temperatura escolhida, que depende das espécies de insetos presentes e de seu estágio de desenvolvimento.
A conservação também pode ser integrada, ou seja, usando as duas técnicas: baixas temperaturas associadas a uma atmosfera controlada.


Vídeo: Entomologia Agrícola II - Mapa Mental Sistema de Cultivos (Outubro 2021).