Em formação

Informações fiscais legais: usos cívicos

Informações fiscais legais: usos cívicos

Usos cívicos (Il Contadino julho de 1999 - do Avv. Mario Casari)

Usos cívicos são direitos de uso que pertencem àqueles que compõem uma determinada comunidade. Esse uso se manifesta em atividades relacionadas ao gozo de um ativo específico, como: pastar, fabricar madeira ou usar produtos florestais, semear terras etc. Eles voltam aos antigos direitos coletivos antes mesmo que as comunas surgissem; então, quando a propriedade passava para o município como órgão representativo da comunidade, os cidadãos individuais ainda tinham direito ao direito relativo. São direitos inalienáveis ​​e imprescritíveis e não estão sujeitos ao comércio. Eles pertencem às populações de um território específico em que vivem e estão sujeitos ao regime legal de propriedade estatal. Estes são direitos gratuitos, porque o cidadão é o proprietário do uso, no máximo o serviço para essa exploração pode ser pago. Eles perderam sua relevância com as situações econômicas em mudança, para as quais não respondem mais àquele caráter de necessidade do passado; tanto que as Administrações facilitam seu alívio através do chamado procedimento de franquia e liquidação, dando a possibilidade aos proprietários das terras oneradas, de liberá-las pagando aos Municípios um preço que pode ser em espécie (parte do fundo) ou mediante uma taxa capitalizada. A terra usada como pasto e floresta deve ser gerenciada de acordo com as regras da lei florestal, que estabelecem empresas especiais para o gerenciamento de planos econômicos relacionados, seguidos por regulamentos municipais subsequentes. Tampouco indivíduos particulares podem reivindicar quaisquer direitos de usucapção ou qualquer outro uso em bens sujeitos a uso cívico que, no entanto, mesmo que temporariamente não sejam exercidos, estão sempre existindo. Os bens cívicos devem ser desfrutados em espécie. É óbvio que, por razões práticas, a Administração cortaria e faturaria coletivamente madeira ou outros materiais e entregaria as quantidades atribuídas, poderia exigir o reembolso das despesas incorridas sem obter lucros. Somente depois que esses direitos forem satisfeitos em espécie, o administrador lento poderá vender ervas, madeira ou madeira exuberante, para o benefício da Administração. Para venda, você pode entender qualquer outra maneira de explorar o produto, como aluguel, concessão em uso etc.


Val Rendena - Trento


Vídeo: Registro 0450: Informações complementares dos documentos fiscais, o que informar? (Dezembro 2021).